Compartilhe as propostas dessa candidatura!

Danilo Novais

PSOL · Deputado estadual

Santa Catarina

Por que devemos reformar a política de drogas?

Penso como ex dependente químico e álcoolatra deve sim ter mais dialogo pois estamos falando de quais tipos de drogas? As que se compra em farmácias ?eu vejo que para fins medicinais são prefeitas .pra uso recreativo são ótimas .mas ate que ponto estamos querendo dialogar de quem compra ?ou de quem vende? Para mim Danilo não foi uma experiência boa.mas foram aprendizados.passei por duas clínicas pra me recuperar.mas recuperar minha família ,minha alta estima. As dificuldades são diariamente vencidas quando digo não. Só por hoje eu digo Não vou usar pois sei do meu limite. Sem falar nas vidas que eu vi passar. Uns que morreram por dever outros terem muito dinheiro num dia e uma semana depois não ter mais nada.ou de ver sua casa invadida por uma suspeita de haver drogas sem mandado de busca. Ver adolescentes que eu vi cresce morrer. Então e só de drogas que vamos falar ou de um conjunto de políticas públicas? Pois droga é bom se fosse ruim ninguém comprava .Não sei se me expressei bem mas droga não é o fato de legaliza mas melhorar a política de tudo que você consumir em excesso e perigoso assim como a droga. Mas se legalizar é uma saída de redirecionamento do crime qual vai ser a entrada dos outros crimes...

POR UMA COALIZÃO DE CANDIDATURAS PELA REFORMA DA POLÍTICA DE DROGAS

A reforma da política de drogas é uma pauta política central no Brasil. Queremos mapear todas as candidaturas do país que defendem a reforma em três principais pontos que estão em discussão atualmente: a descriminalização do consumo de drogas, a regulamentação da maconha para fins terapêuticos e a regulamentação da maconha.

Conheça as candidaturas


Cadastre aqui sua candidatura

Por meio de um formulário online, a Plataforma Brasileira de Política de Drogas está mapeando as candidaturas comprometidas com a reforma da política de drogas nacional. Podem responder ao formulário candidatos e candidatas a governos estaduais, ao legislativo federal e estadual e à Presidência da República.

Clique aqui e cadastre sua candidatura

Por que precisamos reformar a política de drogas?

Acreditamos que a difusão de conhecimento é uma das principais ferramentas na construção de uma nova política de drogas. Por isso, a Plataforma Brasileira de Política de Drogas produziu uma cartilha para ajudar candidatos e candidatas a qualificarem o debate eleitoral sobre drogas neste ano.

Na publicação, é possível entender as diferenças entre legalização, descriminalização e despenalização, conhecer os diferentes modelos de política de drogas ao redor do mundo e compreender os impactos da proibição das drogas na saúde e na segurança públicas.

Clique na imagem para acessar a cartilha

Sobre a PBPD

A Plataforma Brasileira de Política de Drogas (PBPD) nasceu da necessidade de unir, em rede, especialistas e organizações dedicadas a estudar e a promover a reforma da política de drogas em suas diversas frentes: saúde, segurança pública, acesso à justiça e direitos humanos.

Composta por 50 entidades, a PBPD atua pela redução da violência e dos danos associados a políticas proibicionistas, defendendo normativas e programas que garantam a autonomia, a liberdade e o efetivo direito à saúde. Como não poderia deixar de fazer, também fomenta o debate sobre os efeitos sociais do combate às drogas, pautando as consequências do encarceramento em massa e denunciando a violência e a letalidade policiais.

Organizada em três coordenações – advocacy, produção científica e comunicação – e em três eixos temáticos ( cannabis, cuidado e atenção e violência e encarceramento), a PBPD incide no debate político, apontando evidências científicas e fontes de credibilidade capazes de orientar uma nova política de drogas, mais justa e eficaz.